quinta-feira, 7 de junho de 2012

Resultado - 2º Mutirão PEPB 2012

Participaram do mutirão aproximadamente vinte e cinco voluntários que se dividiram em dois grupos: um trabalhou na área do Circuito das Águas e outro na Trilha do Açude do Camorim.

Parque Estadual da Pedra Branca
Leonardo Furtado, biólogo do Núcleo de Conservação da Natureza do PEPB, e os voluntários na roda de apresentação antes do mutirão.

No Circuito das Águas, o mutirão começou com a limpeza da área de piquenique, de onde foram retirados galhos secos e lixo (pouquíssimo, felizmente!).
A limpeza no acesso à Cachoeira Véu da Noiva exigiu mais tempo dos voluntários, porém o resultado foi recompensador! A poda da vegetação deixou a cachoeira muito mais visível e a área se tornou ainda mais aprazível ao visitante. 

Meio Ambiente
Voluntários, fazendo a manutenção do Circuito das Águas.
Clique na foto para ampliá-la.
Camorim
Foto 1: Antes do mutirão a vegetação encobria boa parte do caminho do Circuito das Águas;
Foto 2: Após o mutirão o caminho se mostra completamente limpo para a passagem dos visitantes.
Clique na foto para ampliá-la.
Camorim
Cachoeira Véu de Noiva.

Na Trilha do Açude, o trabalho principal ficou em função da retirada de árvores de pequeno e médio porte que haviam caído, impedindo a passagem. Com a desobstrução do caminho original nestes trechos, os atalhos, criados pela necessidade de desviar das árvores, foram fechados. 

Solidariedade

Sinalização de Trilhas
Placa confeccionada pelo PEPB para a sinalização de interdição de atalhos.

Uma árvore (caída) de grande porte também foi removida e a vegetação foi podada nos trechos onde encobria a trilha. 

PEPB

Trilha do Açude do Camorim
O trabalho voluntário em áreas de conservação proporciona gratas surpresas! Na Trilha do Açude do Camorim, voluntários avistam uma preguiça.
Clique na foto para ampliá-la.

Chegando ao açude, alguns voluntários ainda recolheram lixo que se encontrava em suas margens.

Trabalho Voluntário
    
Parque Estadual da Pedra Branca
Açude do Camorim.

Trabalhando em equipe, voluntários e funcionários do PEPB realizaram, neste domingo, muito mais trabalhos do que o esperado para um único dia! Para chegar até aqui, no entanto, foi necessária muita persistência de Carla Scott que, através do blog Amigos do Parque Pedra Branca, vem, pouco a pouco, conquistando melhorias para o local. Todos estão de parabéns, bem como a diretoria do Parque que, abrindo as portas para o serviço voluntariado, está iniciando o PEPB numa nova fase de revitalização. 

A SOS Trilhas/Trilhas Quase Secretas agradece:

- ao Parque Estadual da Pedra Branca e aos Amigos do Parque Pedra Branca pela parceria na organização desse mutirão;

- à Radical Sports que nos apoiou com a doação de cinco camisas para serem sorteadas entre os voluntários;

SOS Trilhas
Voluntários sorteados com as camisas Radical Sports.
Clique na foto para ampliá-la.

- aos grupos Destemidos, RJ Adventura, Patrulha Ambiental e Guardiões da Floresta pela participação na divulgação e atividades;

- a todos que compraram camisas Trilhas Quase Secretas, possibilitando a compra de luvas e várias das ferramentas que foram usadas neste mutirão, bem como aqueles que levaram seu próprio material.

Apesar de termos realizado um mutirão muito produtivo, não foi possível realizar todas as atividades relacionadas em levantamento realizado por Fábio Rael no dia anterior (sábado, 02 de junho). Como sugestão para novos serviços de manutenção na Trilha do Açude, listamos abaixo alguns dos problemas encontrados e medidas que ajudam a corrigi-los:

- Erosão:
Problema muito sério encontrado em diversos trechos da trilha.
Pode ser minimizado com a criação de canais de drenagem para escoamento da água da chuva.
Onde a erosão é mais acentuada, além dos drenos, é indicado o preenchimento das valas com pedras e terra ou, então, a criação de degraus.
Em trechos mais críticos, pode ser necessária a criação de um desvio no percurso da trilha, associada ao fechamento do trecho original, propiciando condições para a recuperação da vegetação no local, o que pode incluir (dependendo da extensão dos danos) o plantio de mudas.

- Manejo de flora:
Há trechos da trilha onde a passagem de caminhantes oferece risco ao desenvolvimento de muitas bromélias.
É indicado o manejo dessas plantas para áreas na qual elas possam se desenvolver com segurança.  

- Trilhas utilizadas para prática de motocross:
Tanto as trilhas do Camorim quanto a da Pedra do Quilombo, vem sendo utilizadas para prática de motocross. A prática é proibida no Parque, pois acentua o processo erosivo e oferece um enorme risco aos caminhantes. 
A afixação de placas educativas e aumento da fiscalização nos acessos de Vargem Pequena e do Calharins (locais por onde os motociclistas acessam as trilhas) são medidas que podem auxiliar o combate a este problema.

- Atalhos:
No local existem 2 tipos de atalhos:
Os ocasionados devido à queda de árvores (que, de certa forma, induzem o visitante a buscar um caminho alternativo causando a degradação da vegetação no novo trecho utilizado).
Os que tornam o acesso mais rápido, reduzindo o caminho (não raro, estes são mais íngremes que o caminho original, acarretando em processo erosivo acentuado e, algumas vezes, até expondo o caminhante a situações de risco). 
A afixação de placas educativas, associada ao fechamento de atalhos deve ser constante e incansavelmente trabalhada.

Preserve

Nenhum comentário:

Postar um comentário