quinta-feira, 30 de maio de 2013

Resultado do 6º Mutirão do PEPB - Trilha da Casa Amarela

Guarda-parques e voluntários reunidos na Casa Amarela
Tivemos a ideia de saber qual é a visão que um voluntário do grupo tem dos mutirões, então, uma amiga nossa, Lucia Santos, que participa de caminhadas e mutirões do grupo desde 2008, aceitou falar sobre a atividade. Agradecemos muito pelo texto feito por ela, pela ajuda nesse e nos demais mutirões que ela participou até agora. Segue abaixo seu relato:

"No dia 05/05/13, cerca de 15 participantes do 6º Mutirão do Parque Estadual da Pedra Branca (Núcleo Pau da Fome), foram recebidos com um agradável café da manhã. Os guarda-parques do PEPB e voluntários (dentre eles, monitores do PNT) ainda ganharam um lanchinho de trilha!


Voluntários reunidos antes do início do mutirão!
Borboleta na mesa do café da manhã  (foto:  Fábio Rael)
 Às 9h todos iniciaram a caminhada, com a proposta de fazer a manutenção da trilha do Pico da Pedra Branca. Segundo os guarda-parques do PEPB, o trecho que mais precisava de intervenção era da Casa amarela (cerca de metade do caminho) até o cume, pois na 1ª parte da trilha eles já haviam feito muita limpeza.
No entanto, em diversos trechos havia obstrução da trilha principal por árvores caídas, e atalhos e desvios estavam sendo usados há anos como a passagem principal. Os voluntários com experiência em manejo de trilhas ensinaram que o ideal é manter o traçado original, e para isso arregaçaram as mangas a fim de recuperar tais trechos. Motosserra, enxada, machado, serrinha, facões e braços foram bastante usados para retirar as árvores mortas do caminho e jogá-las nos atalhos, fechando-os definitivamente!

Antes - árvore caída obstruindo um dos trechos do caminho original.
Desobstrução da trilha com a retirada de árvore caída

Desobstrução da trilha com a retirada de árvore caída

Depois - caminho original totalmente desobstruído.  Na foto, os voluntários Sandro Azevedo e Silvio Bullara.
E não é que faz muita diferença no visual? Fica muito mais bonito e ecológico manter a trilha original, pois os atalhos provocam um impacto ambiental negativo, aumentando a erosão e degradando a vegetação.
Essas atividades só foram executadas até a Casa amarela, onde todos chegaram cerca de 14:30h e fizeram uma pausa para lanche, descanso e fotos. Como o retorno levaria aproximadamente 2h, não foi possível prosseguir na trilha.
No trecho trabalhado, o mais pesado já foi feito, mas ainda há necessidade de se fechar vários atalhos, criar drenos para escoamento de água e fazer sinalização em algumas bifurcações.
A chegada ao Centro de visitantes foi após as 17h, não sem antes tirar umas fotos de cachoeiras secretas no caminho (onde o banho é proibido devido à captação da água pela Cedae).
Mesmo com muito cansaço e muitas picadas de inseto, todos ficaram felizes e satisfeitos por esse mutirão tão produtivo! Ainda há muito trabalho pela frente, mas a recompensa maior é saber que estão contribuindo para a recuperação da natureza e sua disponibilização à sociedade, especialmente com a integração à Trilha Transcarioca.
Então até o próximo mutirão!"

Lucia Santos




Parte dos voluntários reunidos após o mutirão - Lucia Santos, que escreveu a matéria, aparece nessa foto a frente do grupo.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

98º Mutirão do Parque Nacional da Tijuca será nesse domingo, dia 19 de maio de 2013!




Abaixo, segue convite do coordenador do voluntariado a todos que desejarem se juntar ao grupo:

"Amigos Voluntários,

É com grande prazer que convidamos todos os voluntários para o 98º Mutirão PNT, que acontecerá no próximo dia 19/05.
Este Mutirão será um pouco diferente dos demais. Acontecerá uma palestra no Centro de Visitantes e depois faremos uma parte prática sobre o tema abordado.
"Outra diferença é que não estarei presente, mais uma vez, mas por outro bom motivo. Estou na cidade de Salida, Colorado, EUA num curso oferecido pelo Servico Florestal Americano. A oportunidade de conhecer o trabalho com voluntários e novas técnicas de manejo de trilha, desenvolvido há muito tempo e com larga experiência. Não vejo a hora de poder trocar as informaçoes aqui adquiridas com todos vocês. Mas estarão em boas mãos. O Peterson e a equipe da monitoria ambiental do PNT se encarregará deste mutirao diferente. Desejo boa sorte a todos e até a volta."

Lucio Palma.


A palestra será sobre espécies exóticas invasoras, principalmentes Dracenas e Jaqueiras. Vocês terão a chance de saber mais sobre estas espécies e entender um pouco do nosso trabalho de controle e manejo delas aquí no PNT. A importância deste trabalho e como estas plantas podem modificar o ecossistema local onde foram inseridas.
Este é um trabalho em parceria com a UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) e quem realizará a palestra será o biólogo, mestre em ecologia e aluno de doutorado da UERJ, Marlon Almeida. Como auxiliar a também bióloga e aluna de mestrado na UERJ Danielle Borin.
Henrique Guerreiro, funcionário aposentado do Parque, ajudará na parte prática, contando sua experiência com manejo de exóticas no PNT.
Mesmo com chuva teremos a palestra no Centro de Visitantes. O que pode ficar prejudicada é a parte prática.
Estamos combinados!

Dia 19/05 - domingo
Horário: a partir das 9 horas
Local: Centro de Visitantes na Floresta da Tijuca

Contamos com a participação de todos!

Dúvidas ou informações complementares pelos telefones: 2491-1700 / 2484-8307 ou ainda 9558-5879 (Peterson).

sexta-feira, 3 de maio de 2013

6º Mutirão do PEPB será no próximo sábado, dia 4 de maio



    Neste sábado, 04 de maio, haverá mutirão com manejo da Trilha Histórica da Casa Amarela, no Parque Estadual da Pedra Branca. As atividades vão ser: desobstrução da trilha com retirada de árvores e galhos caídos, poda de vegetação, sinalização e fechamento de atalhos. 
      
     Esta trilha faz parte do traçado da Transcarioca, sendo interligado a uma rede de trilhas do Maciço da Pedra Branca, utilizada desde o século XIX por colonizadores de terras, servindo aos engenhos e fazendas da região. A Casa Amarela, sede do antigo Sítio de Santa Bárbara, construída pelo agricultor Domingos Letra, ocupação modesta de estilo colonial, datada do início da década de 20, representa hoje um importante atrativo cultural situado no interior do Parque.

   A princípio o mutirão seria realizado no cume do Pico da Pedra Branca, apesar de ser o ponto mais alto da cidade do Rio de Janeiro, com 1024 metros de altitude, o local não apresenta vista para a cidade.  Ao constatarmos esse fato em visitas anteriores, e, além disso, perceber que parte do cume é ocupada apenas por uma espécie de bambu não nativo da Mata Atlântica fizemos a proposta ao PEPB de avaliar a possibilidade de criar um mirante, oferecendo ajuda na abertura do mesmo. 

  Devido a pouca utilização do caminho que leva ao Pico da Pedra Branca, a administração verificou primeiro a necessidade de realizar uma manutenção para, numa futura ocasião, abrir esse mirante, tornando o local mais interessante ao visitante que, após aproximadamente 4 horas de subida por trilha íngreme, se decepciona por não poder apreciar a vista como é possível em outros cumes da cidade.      

     O ponto de encontro será na sede do Parque, localizada no Pau da Fome, às 08h00m.

      Como Chegar:
      - Pelo largo da Taquara, entrar na Estrada do Rio Grande e seguir até o Largo da Capela, onde termina a Rio Grande.   Entrar na Estrada do Pau da Fome e seguir em frente até a entrada da sede. Estrada do Pau da Fome nº 4003.

      - De ônibus: linha 764 (Madureira x Pau da Fome)  ou 865 (Taquara x Pau da Fome)
      -Van  (Pau da Fome) - pegar no início da Estrada do Rio Grande
 
   Dependendo da quantidade de voluntários e de acordo com o perfil de cada um, teremos que dividir o grupo uniformemente nas atividades propostas. Teremos tarefas para todos. É recomendado trajar roupas confortáveis que permitam liberdade de movimento (preferencialmente calça comprida, camiseta, etc.) e tênis/bota confortável (preferencialmente com solado antiderrapante); levar ao menos 2 a 3 litros de água, suco ou isotônico; levar lanche (barras de cereal, biscoitos, frutas...); levar roupa reserva, boné, óculos de sol, repelente, protetor solar e, caso tenha, um par de luvas; levar um documento de identidade com foto.  Os participantes deverão ser maiores de 18 anos.   
       
     Em caso de chuvas existe a possibilidade do mutirão ser adiado, normalmente avisamos pelo facebook do grupo, caso exista alguma dúvida podem entrar em contato conosco no dia anterior ou no próprio dia do mutirão, pela manhã.

Contato:
Fábio Rael: 9922-5957 (vivo)  9367-4399 (claro) - Trilhas Quase Secretas / SOS Trilhas